terça-feira, 6 de março de 2012

Fronteira Quase #6

.



«tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco»

de Em todas as ruas te encontro, Mário Cesariny


[imagem: 2008, Bizarril, Colmeal - trabalho retocado em Corel PhotoPaint]

.

3 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

São as ausências mais pulsantes e preenchidas que pude sentir. Leonardo, foi un susto quando te ouvir falar a primeira vez em "ausência", atéw descobrir que mesmo no teu silêncio há uma poesia rara e única.
Beijos,

enletrasarte(Omar) disse...

siempre la combinación perfecta, imagen y palabras
saludos

OceanoAzul.Sonhos disse...

o encontro e o desencontro de si no outro.
Gostei muito!

beijinho
cvb