quarta-feira, 11 de junho de 2014

décimo segundo verso





[joão de sousa, bizarril, junho.2014 - nikon d3100]

.

domingo, 8 de junho de 2014

undécimo verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, junho.2014 - nikon d3100]

.

sábado, 7 de junho de 2014

somewhere in my garden #1





[joão de sousa, castelo rodrigo, junho.2014 - nikon d3100]

.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

décimo verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, junho.2014 - nikon d3100]

.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

nono verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, junho.2014 - nikon d3100]

.

domingo, 1 de junho de 2014

oitavo verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, junho.2014 - nikon d3100]

.

sábado, 31 de maio de 2014

sétimo verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

sexto verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

.


quinto verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

.

sábado, 24 de maio de 2014

do mínimo olhar nº1





 [joão ricardo sousa, castelo rodrigo, maio.2014- nikon d3100]

.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

quarto verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

[nota: escolhida pela The Nature Daily como uma das fotografias da semana; que agradável surpresa!]

.

terceiro verso






[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

.

segundo verso






[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]


.

primeiro verso





[joão de sousa, castelo rodrigo, maio.2014 - nikon d3100]

.

Como um jardim que devo a A. Ramos Rosa...



"Consideremos o jardim, mundo de pequenas coisas,
calhaus, pétalas, folhas, dedos, línguas, sementes.
Sequências de convergências e divergências,
ordem e dispersões, transparência de estruturas,
pausas de areia e de água, fábulas minúsculas.

Geometria que respira errante e ritmada,
varandas verdes, direcções de primavera,
ramos em que se regressa ao espaço azul,
curvas vagarosas, pulsações de uma ordem
composta pelo vento em sinuosas palmas.

Um murmúrio de omissões, um cântico do ócio.
Eu vou contigo, voz silenciosa, voz serena.
Sou uma pequena folha na felicidade do ar.
Durmo desperto, sigo estes meandros volúveis.
É aqui, é aqui que se renova a luz."


O Jardim (em Volante Verde), António Ramos Rosa

.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

#75








"Um verso como crisálida
         ao sol

Um breve ondular do vento
e o ruído só do corpo que se volta"

José Terra

[imagem: Nikon D3100, 06.04.2014]
.