quinta-feira, 10 de maio de 2012

# 43




«Às vezes oiço morrer o silêncio –
é o mar que se afasta,
um ramo que partiu com
o insuportável peso

do mundo sobre o verde das suas
folhas, o silvo da lua
nova rasgando o chão das águas»

de Às Vezes, Eugénio de Andrade

[imagem: 05.2012 - Minolta Dimage Z3]

.

4 comentários:

lichazul...elisa disse...

hermoso y bucólico micro

besitos y feliz jueves LEO

enletrasarte, Omar disse...

la luna silva y deja su estela musical sobre el verde follaje y el azul del mar
saludos

Gabriel Savaris disse...

Adorei tuas fotos.
O preto e branco deu um tom incrível as fotos além de deixar um certo ar de "ausência".
Ausência de cores, mas não de um bom olhar e uma sensibilidade nata para projetar esses momentos nas fotos.
:)

Ana Andreolli disse...

perfeito.