terça-feira, 3 de abril de 2012

# 29

.
 



«Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou
Não rodou mais para a festa não irrompeu
Em labareda ou nuvem no coração de ninguém.
A mudança fez-se vazio repetido
E o a vir a mesma afirmação da falta.
Depois o tempo nunca mais se abeirou da promessa
Nem se cumpriu»

de Explicação da Ausência, Daniel Faria

[imagem: 2012 - Minolta Dimage Z3]


.

4 comentários:

Luciano disse...

Suscita belas imagens.
Legal por aqui.

Richard disse...

Diante de certos eventos, o tempo (que alguns dizem não ser mais que uma concepção humana para chamar a degenerescência do homem e das coisas)nunca é o mesmo. Nem promete. Nem cumpre.

Abraços,

Ana Andreolli disse...

suas fotos são belissimas.

assim como a escrita.

LauraAlberto disse...

não consigo ser indiferente a esta tua fotografia

e as palavras...

[ultimamente, as minhas lutas são com ele, o tempo]